Música de Sexta #10

Veja também , ,

Agora sim, um post com algo além do video, ainda não estou com tanta criatividade para escrever , mas enquanto isso, reciclo junto de outros sites conteúdo sobre a música e claro o filme. Aliás o post era para ser sobre o filme, mas ai ficou Música de Sexta. [mas que seja, vamos ao filme... que leva a música e vice-versa =P] 

Confesso que apesar de não assistir tantos filmes, são poucos nesse gênero "Romance Músical" que me agradam atualmente, acabam sendo cansativos demais, mas nesse caso apesar da história não ser tão interessante assim, a trilha musical traz aquela velha e boa nostalgia...

A história é sobre uma garota que é João Maria [ohw maldade] durante o dia soldadora numa construtora e de noite... Maria João [tá, não tem graça] vamos ver se advinham... sim, claro... como dançarina em uma boate. [Mas não boate como as de hoje, ela era mesmo dançarina a noite, nada além disso.]


Seu sonho é ser uma bailarina de verdade e entrar para um conservatório, esse sonho inspirou uma geração de garotas. e garotos também!

Um belo dia, a mocinha conquista o coração de um homem mais velho e muito rico: o dono da tal construtora, ela mora sozinha num antigo armazém. Apesar das diferenças financeiras o amor dos dois é mais forte, e acaba até dando um empurrãozinho na carreira da moça. [quase que uma Cinderela] Mas antes de chegar ao clímax do filme, os pombinhos brigam, com direito a janela quebrada e escândalo. Ela não trabalha mais, não vai mais à boate. Fica fumando em casa com uma calça jeans rasgada no joelho e um moletom caído no ombro.

É então que, ao conversar com um amiga mais velha, ela percebe que tem sair da fossa – e vai fazer o bendito teste para bailarina, em frente a uma banca de jurados muito mal encarados. Ela liga o som, dá alguns passos... e erra. Pede para começar de novo. E aí... Uau! “What a feeling!”

Mas como você deve ter imaginado, não é a atriz Jennifer Beals que dança em todas as cenas. A nossa atriz-dançante preferida não só foi substituída por dublês nas danças mais perigosas, como foi substituída por... um homem! Simmm! É o dançarino de Crazy Legs que faz aquele giro no chão. Também não dava pra exigir demais, não é?
Pelo menos ela não foi “dublada” por qualquer um: a garota que dá o salto na última cena, Sharon Shapiro, ganhou muitos prêmios dando seus pulinhos por aí.


Mas se as suas fantasias foram destruídas com o último parágrafo, não culpe a mim, caro oitentista. Pegue o filme de novo (o DVD é meio difícil de achar, mas vale a pena!) e preste atenção na cena do teste. Enquanto uma das dublês está dançando freneticamente, de repente... o cabelo diminui! Com aquela empolgação toda, a peruca saiu voando. Mas as madeixas armadíssimas da Jennifer, essas sim eram naturais!


Depois de Flashdance, muitas meninas saíram por aí rasgando o moletom para ficar com ombro de fora – para o desespero das mamães. Diz a lenda que a moda surgiu sem querer: Jennifer teria rasgado a gola do moletom, que estava muito apertado. E os ombros de fora viraram mania. u.u' Flashdance foi um dos primeiros “filmes de dança” e abriu caminho para outros como Dirty Dancing e Footloose. 

Mas não dá para falar de Flashdance sem falar da trilha sonora. É mais fácil listar os momentos mais marcantes do filme pelas músicas. Logo no começo, os primeiros acordes de “What a Feeling” (Irene Cara) criam o clima para a apresentação da mocinha ao público. A letra da música resume o espírito do filme: "Well I hear the music, close my eyes, feel the rhythm, wrap around, take a hold of my life (...) Take your passion and make it happen!"

Ao som de “I love Rock and Roll” (Joan Jett and the Blackhearts), Alex e as amigas vão para academia, fazendo abdominais ao som da música. Tina Tech, uma das colegas de Alex na boate, faz uma performance com “Manhunt”, que dá um toque feminista ao filme – afinal, os 80 também foram a década da afirmação da independência da mulher. “Gloria” dá o ritmo para a apresentação de Jeanie nos patins. Lembra do tombo? Ai...

“Maniac” (Michael Sembello) é a música mais animada do filme – tem como ouvir sem querer chacoalhar os pés? – mas não foi feita para Flashdance, embora seja perfeita. Ela havia sido escrita para o filme “Maniac” (1980), mas foi cortada da trilha. Bom, pior pra eles. “Maniac”, e “What a Feeling” alcançaram o topo das paradas em vários países, e até hoje são hits de academia – mesmo que em versões re-re-remixadas. O vinil com a trilha sonora vendeu 700 mil cópias em duas semanas e esgotou rapidinho das prateleiras americanas. No Brasil, não tinha garota que não tentasse imitar os passos de Alex, nem que fosse escondida, dançando no chuveiro. [que perigo xP]


Acho que por hoje é só.

Espero que tenham gostado, mas independente disso, deixe seu comentário ^^.

Acesse nosso twitter: www.twitter.com/lembrodisso

1 Nostálgicos:

  1. NC disse...:

    muito bom e completo o post... os comentários ficaram muito sua cara/jeito mesmo hahaha, gosto até hoje dessas musicas ^^

Postar um comentário